As primeiras são sempre bem-vindas

Olá, amigos!

Mais uma vez chegou a hora de falar sobre a NASCAR! Tivemos eventos importantes nos últimos fins de semana, com três pilotos conseguindo suas primeiras vitórias na categoria e uma transmissão de TV bastante inusitada, além de interessante.

Nas últimas colunas tenho falado bastante sobre as novas promessas da categoria, os jovens pilotos que estão surgindo para renovar a base de fãs da NASCAR. Nas últimas corridas tivemos três desses jovens vencendo pela primeira vez na categoria principal da NASCAR, o que é sempre bom de ver. Todo mundo tem um piloto favorito, claro, mas é sempre bom testemunhar novos talentos surgindo e apertando os calos dos velhinhos da categoria. Kyle Larson e Joey Logano são jovens que estão desempenhando esse papel há algumas temporadas e em 2017 ganharam a companhia de outros jovens vencedores.

O primeiro deles foi Ricky Stenhouse Jr., piloto que visitou a Victory Lane pela primeira vez na corrida de Maio, em Talladega. Apesar de estar na categoria há alguns anos, desde 2013, o jovem de 29 anos nunca tinha conseguido vencer. Durante o fim de semana inteiro Stenhouse dominou, largando na pole e fazendo uma corrida bastante sólida. Convenhamos, segurar aquele pelotão de carros em Talladega não deve ser nada fácil, especialmente quando se é jovem. Com uma ultrapassagem faltando apenas duas voltas sobre Kyle Busch, o jovem piloto do carro 17 mostrou coragem e destreza ao segurar o impulso dos demais carros, vencendo a prova de forma incontestável. Foi uma bela vitória!

O segundo jovem a conquistar sua primeira vitória foi Austin Dillon, piloto do icônico carro número 3, marcado pelos diversos títulos e vitórias do grande Dale Earnhardt. A vitória veio na pista de Charlotte, numa aposta arriscada baseada na estratégia de economia de combustível. Jimmie Johnson liderava a prova mas faltando apenas 2 voltas, seu combustível acabou. Dillon vinha logo atrás, também apostando na economia de combustível, e conseguiu segurar os velozes Kyle Busch e Martin Truex Jr., que vinham rápido atrás. Depois de quase 17 anos o carro de número 3 da Richard Childress estava de volta à Victory Lane. Um momento de bastante emoção, tanto para o piloto, quanto para a equipe.

Chegamos ao terceiro jovem a vencer pela primeira vez na categoria principal da NASCAR, Ryan Blaney, piloto do carro número 21 da Wood Brothers. A vitória veio na corrida de Pocono, o tri-oval de 2 milhas e meia conhecido como “Tricky Triangle”. Numa disputa bastante empolgante contra Kyle Busch, Blaney vinha com pneus mais novos e aplicou uma manobra sensacional para passar o carro 18 na volta 148 das 160 da prova. Após abrir um pouco nas voltas seguintes, começou a sofrer ameaça do carro número 4, de Kevin Harvick. Assim como Stenhouse fez em Talladega, Blayney pilotou de forma impecável para segurar o campeão de 2014 e conseguir sua primeira vitória. A equipe do carro 21 não vencia desde 2011, quando Trevor Bayne venceu em Daytona. Blaney, com apenas 23 anos foi para a Victory Lane sem queimar seus pneus na comemoração e aí está um fato interessante. Em uma declaração anterior, Blaney disse que quando vencesse sua primeira corrida não faria os famosos “burnouts” e a explicação é bastante curiosa. O jovem piloto disse que, antigamente, os pilotos não faziam isso, e que, ao fazer o burnout, o carro acabava inteiramente destruído, falando sobre motor e pneus. Para Blaney, a escolha seria de fazer como os seus antecessores, apenas acenar para os fans e cruzar a reta de forma devagar. Muito interessante um jovem de apenas 23 anos pensar dessa maneira, resgatando velhas tradições da categoria.

Três novos rostos figurando entre os grandes vencedores da NASCAR, algo que devemos celebrar, sempre. A renovação é sempre bem vinda em qualquer categoria, na NASCAR não é diferente.

Em uma transmissão sem precedentes e que deve ter sido bastante legal de assistir, a NASCAR inovou e colocou oito pilotos ativos da MONSTER ENERGY, a categoria principal, para fazer a transmissão da categoria de acesso, a XFINITY SERIES. A narração ficou por conta de Kevin Harvick, os comentários ficaram com Joey Logano e Clint Bowyer. Nos boxes, os reporteres foram Ryan Blayney, Erik Jones e Rich Stenhouse Jr. Nos estúdios da transmissão estavam Danica Patrick e Denny Hamlin. Demais, não? Com certeza esse evento único trouxe um toque a mais para a transmissão e para os fãs que estavam assistindo. Os pilotos parecem ter gostado bastante, mas Danica lembrou que é bem melhor estar dentro de um caro.

A transmissão especial aconteceu no sábado, mas no domingo, após a vitória de Ryan Blaney, Brad Kaselowski quis participar também e fez o papel de repórter ao entrevistar o vencedor, na Victory Lane. O trabalho foi bem feito e Brad agiu de forma bastante natural. Dá pra imaginar algo assim acontecendo em outras categorias? Mais uma vez a NASCAR se mostrou pioneira nesse tipo de evento e, cá entre nós, os americanos são mestres na arte do entretenimento, não é mesmo?

Chegamos à metade do ano e Kyle Larson segue firme na liderança do campeonato. Com duas vitórias no ano, o piloto do carro 42 segue à frente de Martin Truex Jr., que mostra consistência mais uma vez, além de ter vencido duas provas. Na sequência temos Kyle Busch, que ainda não venceu em 2017, Kevin Harvick, também sem vitórias e Chase Elliot, que teve uma sequência ruim de resultados e caiu algumas posições, fechando o top 5 do campeonato.

O campeonato segue aberto, com Larson e Truex mostrando força, além do sempre veloz Kyle Busch. Não podemos esquecer Jimmie Johnson, que já venceu três vezes no ano, e que é sempre um forte candidato.

Continuamos acompanhando as novidades e torcendo pelas novas promessas. Você já tem um um novo piloto para quem está torcendo? Grande abraço!

 

Rafael Mansano

 

4 thoughts on “As primeiras são sempre bem-vindas

  1. Belo Texto Rafael!!

    Rapaz, eu até tento acompanhar a Nascar, mas, não consigo me acertar com os horários das corridas.

    É uma categoria incrível!

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  2. Boa Mansano!!!

    Na Nascar são muitas as corridas na temporada e temos muitos vencedores …. mas o campeonato mesmo só começa no fim quando os melhores decidem … ainda vou compreender o que este regulamento tem de tão bom que tanto admira os torcedores ianques …

    Fernando Marques
    [Niterói RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *