Já acabou?

O silêncio dos campos austríacos teria que ser colocado em espera para um grid que iria assistir um Hamilton largando de oitavo.

Nós mal sabiamos que a largada seria protagonizada por outras figuras de um segundo pelotão. Mal saberia eu também que estaria aqui no GPTotal em rarrissima aparição “back-to-back” no lugar do amigo Gepeto Lucas Giavoni!

A pressão subiu para todos e o campeonato mais barulhento dos últimos anos merecia na Áustria uma corrida com 100 voltas.

A largada foi uma vergonha. Vamos combinar? Que papelão múltiplo!

Vettel sacou seu lenço e começou a choradeira: uma largada assim tão fabulosa do piloto número dois da Mercedes só poderia ser fruto de uma “queimada de largada”. Ora, ora, ora, Sr. Tetracampeão: Bottas reagiu em míseros 0.2 segundos, e o senhor passou dos 0.4s. Simples, o rapaz da pole largou no “susto” e assustou a todos. Ainda bem que o pessoal da Liberty Media percebeu que dados e estatísticas encantam fanáticos e novatos, e colocou na tela os valores. No fim, a única “queimada” foi a do filme de Vettel.

Algumas posições para trás, Verstappen comprometeu sua corrida na mesma fração de segundo que Bottas ganhou a dele. Verstappinho é um talento bruto. Precisa se entender com o carro em situações que não está sozinho-na-pista-com-a-cara-pro-vento. Errou feio, ficou para trás… e aí vieram pra cima dele as asas do destino.

Um estabanado Kyviat veio descontrolado e acertou Alonso que atingiu uma atrasado Verstappen. Alonso, em seus melhores dias em anos, disse direto do carro que parecia um jogo de boliche. Foi mesmo. Valeria um safety car? Seria divertido para limpar a pista e juntar a turma. Mas a corrida seguiu e aí começou a temporada de contas para os engenheiros.

Um pequeno teste: na largada da F1, você é rápido como Bottas ou você é somente mediano como Vettel? (polêmica!)
Teste seu tempo de reação no procedimento de largada da F1. Deixe nos comentários seu melhor tempo!

Marcel Pilatti já havia dito na corrida passada: um ou outro triunfo a mais para Bottas esse ano. Chegou a hora de Bottas mostrar para Mercedes, Ferrari e Red Bull (os carros capazes de vencer um campeonato) que ele resolve e entrega uma vitória quando precisa — e garante seu contrato para mais temporada(s).

Da largada até o fim da corrida, nenhum momento de descontrole da corrida por parte do finlandês. Mesmo no final, com os pneus cheio de bolhas e Vettel se aproximando, parecia mais uma aproximação por opção de Bottas. Um recado: chegue perto porque estou poupando esses pneus; se você se aproximar demais eu volto a acelerar. Nessa tocada precisa e nada emocionante, levou a vitória pra casa.

Franz Tost deve estar arrancando os cabelos na Toro Rosso. Seus meninos estão perdendo pontos fundamentais para o campeonato.

Se a vida de Bottas estava em aparente controle, Hamilton sofria chegando em carros com desempenho semelhantes ao dele e seus pneus esfarelando.

A Mercedes não teve outra opção para encarar Kimi e na volta 32 chamou Hamilton para o box. Hamilton parou antes do previsto, só para fazer o famoso o undercut no Kimi.

A estratégia era certeira e indefensável para Kimi. Mas atingia também Ricciardo na sua RBR. Hamilton saiu do box fazendo as duas melhores parciais nos setores 2 e 3, na volta seguinte cravou a melhor volta.

Alerta ligado no box da Red Bull, Ricciardos se defendendo da mudança de estratégia da Mercedes. Movimento que também alertou a Ferrari e trouxe Vettel para os box.

Essa reação rápida da RBR e da Ferrari garantiram as posições dos seus pilotos ao final. Um pouco mais de demora e os dois perderiam posição na pista para um Hamilton voador.

A Williams salvou seu final de semana por conta da confusão da largada. Massa e Stroll passaram ilesos na confusão do fim da reta e saltaram 8 posições cada ao final da volta. Os dois carros nos pontos parecia um final improvável para quem teve um final de semana que parecia desastroso.

Ainda na casa da volta de número 50, a corrida caminhava para um tédio épico. A transmissão da TV fazia a dança da chuva, queria alguma emoção adicional. Apesar do aparente tédio, a corrida estava tensa para os 4 primeiros colocados. Essa turma estava separa por somente 12 segundos. Em condições normais, em um circuito que permite ultrapassagens, temos 4 carros de 3 equipes diferentes correndo bastante próximos.

Deu vontade de pedir pra corrida ter umas 20 voltas a mais. Vettel tinha a certeza que mais uma volta passaria Bottas. Hamilton, mais modesto, disse que só chegou em Ricciardo por conta de um erro do australiano. Por mais que ele tentasse a Red Bull estava muito rápida.

Ricciardo é um coadjuvante de luxo nesse campeonato. Na sua incrível sequencia de 5 podiums tem 4 terceiros lugares e uma vitoria. Quando será que ele vai ter um carro em condições de disputar o título?

Não custa lembrar que essa 3ª colocação não caiu do céu. A primeira volta do australiano foi de pura raça. Dividiu com Raikkonen e depois segurou Grosjean para manter as posições conquistadas.

Sem as 20 voltas adicionais, a corrida acabou no giro 71 quando as disputas por posições d afrente se acentuavam. Lucas Giavoni definiu o GP da Áustria de 2017 de forma precisa: Um GP que acabou antes de ficar interessante.

A Vitória de Bottas mantem o finlandês somente 15 pontos atrás do seu companheiro de equipe (e ele ainda abandonou uma corrida), deixando o alerta ligado no cockipt do outro lado da garagem.

Sem muita espera, sexta-feira começa a nova batalha de Hamilton para voltar com tudo à disputa desse campeonato!

Abraços
Flaviz Guerra

5 thoughts on “Já acabou?

  1. Meus amigos,

    vou discordar de vocês … a GP da Áustria foi tão monótomo que nem deveria ter tido 71 voltas … e não consigo acreditar caso ela tivesse 100 voltas que o resultado seria diferente.
    Valteri Bottas a partir de agora tem a minha torcida para ganhar o titulo deste ano … ele está guiando o fino e não comete tantos erros quanto seu companheiro Hamilton comete … e Hamilton sob pressão, me desculpem o termo, “peida” …
    Outra coisa, se alguém puder me explicar: como pode um carro como a Mercedes que quando larga na frente fica praticamente imbatível, não consegue ultrapassar ninguém na pista quando larga mais atrás como foi o caso do Hamilton neste fim de semana … não vi Hamilton sequer ser pelo menos combativo na corrida, apenas comer poeira do Raikonnen …
    Espero que em Siverstone a história seja outra

    Fernando Marques
    Niterói RJ

  2. Grande Flaviz!

    Essa corrida poderia mesmo ter tido 100 voltas, e teríamos uma guerra entre os 4 primeiros.

    Comentei na coluna pós GP do Hamilton que, aquela ultrapassagem do Bottas no Stroll, e que lhe valeu o segundo lugar bem na bandeira, num campeonato tão acirrado, pode lhe render até o título mundial na última prova.

    Não ficaria surpreso caso isso realmente aconteça.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba PR

  3. Flaviz,

    Bottas mostrando muita competência, Vettel garantindo pontos para o campeonato, Ricciardo num excelente 3ª lugar com uma Red Bull inferior às Ferraris e às Mercedes, Lewis fazendo uma corrida de recuperação.

    Eu esperava uma prova bem mais movimentada no que diz respeito aos 1ºs colocados e fiquei na expectativa de uma chuva que poderia trazer surpresas à corrida e que acabou não dando as caras.

    Vejamos o que acontecerá em Silverstone que fecha a 1ª metade do campeonato.

    Márcio

    1. Marcio,
      Faltaram voltas para termos um combate final, né?
      Silverstone tem novidade na Ferrari, versão nova do motor. Vamos ver o que vai rolar!

      Abraços
      Flaviz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *